Search

A “1a Mostra Show Brasília Nasceu” exibirá gratuitamente filmes produzidos na região administrativa do Núcleo Bandeirante, nesta quinta-feira (9/2). A ação pretende valorizar a produção cultural do DF por meio do cinema e contribuir para o fortalecimento da identidade social e da memória coletiva da cidade. Realizada no Cine Brasília, a mostra contará com quatro sessões, além de transmissão simultânea no Youtube.

Com foco na abordagem e promoção do patrimônio histórico e cultural de Brasília, o projeto receberá os atores Lino Ribeiro e Paula Passos, com participação do Mestre Jamelo do Baião, imagens do Arquivo Público do DF, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, além da participação de pioneiros.

A primeira sessão, às 19h30, começa com uma Homenagem aos Pioneiros com apresentação de Lino Ribeiro e Paula Passos. A segunda sessão, programada para 20h30, traz o lançamento do curta-metragem Cidade Livre, do Diretor Fabricio Cezar. Na terceira sessão, às 20h45 será exibido o filme A História do Núcleo Bandeirante, da grande cineasta de Brasília Maria Coeli. A quarta e última sessão, às 21h30, terá a reexibição do curta-metragem Cidade Livre.

Os filmes foram selecionados pela ligação com o tema proposto e as comunidades abordadas pelo projeto. “A intenção foi produzir uma obra impactante a partir de um conflito inusitado para levar o público a refletir sobre questões sociais, pessoais, culturais e históricas. Ter o Núcleo Bandeirante como pano de fundo para esse drama foi a forma artística de contribuir para o amadurecimento da memória coletiva da cidade, resgatando elementos, pessoas e fatos de Brasília numa ficção fora do lugar-comum”, comenta Fabricio Cezar, diretor do filme “Cidade Livre”.

“Foi um grande desafio interpretar 3 personagens no ‘Cidade Livre’. Fizemos um intenso processo de preparação pra ajustar todas as nuances emocionais ali. Esse projeto é um grande presente pra mim e pra minha cidade. Eu amo o Bandeirante!”, declara Lino Ribeiro, ator do filme “Cidade Livre”.

Saiba mais sobre os filmes

Filme: CIDADE LIVRE (FIC) – LANÇAMENTO

Metragem: 16 min/ Origem: Brasília / Classificação: 14 Anos
Direção: Fabricio Cezar

A história de Bernardo se mistura à história do Núcleo Bandeirante quando ele passa a acreditar que o papel é o elemento-chave que o prende em uma cidade que deveria ser livre. Na tentativa de “produzir” um mundo crível onde caibam seus delírios, ele situa sua contradição como mais um lance da luta do bem contra o mal, construindo um discurso libertário despejado em pleno Mercadão da cidade. O choque com a realidade finalmente o leva ao estágio mais avançado de sua loucura, um mergulho em seu imaginário. Lá ele se depara com o Padre Roque, a figura do bem, que argumenta contra sua obsessão. Convencido pelo Padre, ele só não contava encontrar com Velho Oscar, um Bluesman que aniquila de vez as suas esperanças, obrigando-o a entregar sua alma para se libertar. O filme foi realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF.

Filme: A HISTÓRIA DO NÚCLEO BANDEIRANTE (FIC/DOC)

Metragem: 40 min / Origem: Brasília / Classificação: LIVRE
Direção: Maria Coeli

O filme desvenda a história da Cidade Livre. Idealizada por Bernardo Sayão, era um núcleo provisório que funcionava como centro comercial e recreativo para pessoas ligadas diretamente à construção de Brasília. A área onde hoje se localizam o Núcleo Bandeirante, a Candangolândia (Velhacap) e o Museu Vivo da Memória Candanga constituiu um dos principais núcleos anteriores à inauguração de Brasília. Esta área formava um conjunto em que cada local cumpria uma função dentro do contexto da construção da nova capital federal. A Velhacap, posteriormente denominada Candangolândia, tinha função administrativa; o Núcleo Bandeirante, função comercial e o HJKO, função hospitalar. Com participação do próprio filho de Bernardo Sayão interpretando o pai, a obra traz imagens históricas do acervo de José Silva (Alvorada Filmes) e desmistifica a velha discussão sobre onde Brasília nasceu.

Sobre os diretores

Fabricio Cezar

Fabricio Cezar é alumnus da Escola Americana de Brasília com dupla graduação em ciências sociais e geografia. Estudou processamento de imagens na Universidade de Brasília-UNB. Em 2010 exibiu seu primeiro ensaio autobiográfico, intitulado “the pusher”, no Dublin School of Arts na Irlanda. Em 2012, na Polônia, realizou o premiado curta-metragem “Pássaro Preso”. Entre 2013 e 2015, criou soluções audiovisuais para diversos clientes europeus como Espiro Strollers, Ulmani Shoes e Gazello. Pela 90Seconds.TV, escreveu e dirigiu a produção mundial “Battlehack”. Entre 2016 e 2017, projetou, captou recursos e produziu o longa-metragem “No Caminho Pro Quilombo”, financiado pelo FAC – Fundo de Apoio a Cultura do DF e exibido em festivais nacionais e internacionais de cinema. Entre 2018 e 2022 fundou a produtora PortaCriativa e realizou/dirigiu os filmes “O Cigano Negro”, “Poesias Subversivas”, “O Jogo do Ensino” e “Cidade Livre”. 

Maria Coeli

Poeta, cineasta, artista plástica, professora aposentada. Sua família mudou de Minas Gerais para Brasília em 1960. Estudou arquitetura na Universidade de Brasília, mas formou-se em Comunicação. Na UnB, foi aluna de Oscar Niemeyer, Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro. Foi figura presente na história do movimento estudantil da Universidade de Brasília. Deu aulas nas primeiras escolas da cidade, em escolas classe e no Instituto de Artes da Universidade de Brasília. Os filmes A História do Núcleo Bandeirante (1980), Honestino (1982), Superdotado (1987) e Ataíde (2000) lhe renderam alguns prêmios. Realizou um documentário sobre Sarah Kubitschek, a partir de uma entrevista de 40 minutos que fez com a primeira-dama em 1989. É coautora de Outros Poemas (Coletivo de Poetas, 1992) e autora de É triste, mas não é de soluçar (Poesia, 2012).

Programação

Quando? 9 de fevereiro
Onde?
Cine Brasília
19h30 – Homenagem aos Pioneiros com apresentação de Lino Ribeiro e Paula Passos – Livre
20h30 – Filme: Curta Cidade Livre (FIC) 14 Anos – (LIBRAS)
20h45 – Filme: A História do Núcleo Bandeirante (FIC/DOC) Livre
21h30 – Reapresentação: Curta Cidade Livre (FIC) 14 Anos – (LEGENDAS)

Precisa de ajuda?