Search

Mesas de debates serão compostas por  jornalistas, roteiristas, produtoras e cinegrafistas brasileiras de várias regiões

Celebrado em março, o mês da mulher destaca a luta por equidade de gênero em esferas sociais, políticas e econômicas da sociedade. Pensando nisso, jornalistas, roteiristas, produtoras e cinegrafistas brasileiras se unem para compor o Seminário “Relatos do terror: gênero, audiovisual e imaginários, realizado a partir de 1 de março, em formato online, com atividades presenciais no Cine Brasília e UnB, com objetivo trazer ao debate a equidade de gênero, os acessos e importância social destas pautas no cinema, em especial nas produções thriller. O Seminário Relatos do Terror é uma realização do Realize.Content, em parceria com o Instituto Soma Cidadania Criativa e o Cine Brasília. O acesso é gratuito.

A mesa de abertura com tema “Gênero e impacto social: poéticas e futuros possíveis” será a única realizada em formato híbrido, ocupando o foyer do Cine Brasília e transmitida online às 19h do dia 1º de março. A abertura do seminário marca também o lançamento do e-book homônimo, composto por 15 artigos assinados pelas participantes do projeto. Os amantes da sétima arte que estiverem em Brasília poderão também prestigiar o longa-metragem “Fogaréu, que será exibido gratuitamente na sala do Cine Brasília às 21h. Dirigido por Flávia Neves, o filme foi um dos destaques da edição 2022 do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A diretora estará presente na exibição e ministrará uma masterclass GRATUITA, no dia 2 de março, às 11h, no Cine Brasília.

Distribuídas em cinco encontros virtuais, entre os dias 1 e 3 de março, as mesas trazem ao debate temas como protagonismo feminino no cinema, diversidade de corpos, inovação no audiovisual e a importância da ascensão dos temas políticos nas produções de thriller. A transmissão acontece no canal da Realize.Content no Youtube.

A diversidade que se provoca nos debates se reflete também na formação das mesas. A pluralidade de corpos, raças e origem das convidadas promete enriquecer as discussões acerca de temas tão caros nos dias atuais. Compostos 100% por mulheres e pessoas trans, os debates contarão com nomes como Vana Medeiros, Talita Arruda, Vânia Lima, Junno Senna, Laura Diniz, Janaina Oliveira, Catarina Accioly, Bethania Maia, entre vários outros.

O e-book “Relatos do terror: gênero, audiovisual e imaginários” contará com 15 artigos escritos pelas participantes do seminário, dialogando com os temas das mesas, mas trazendo novas perspectivas sobre os mesmos. O e-book estará disponível para download gratuito no site do Realize.Content a partir das 19h do dia 1º de março.

Relatos do terror: gênero, audiovisual e imaginários” conta com fomento da Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal. Além das mesas, ainda serão oferecidas três oficinas no dia 4 de março: “Sensibilização para o atendimento à pessoas LGBTI+” e “Acessibilidade na prática: Atendimento e Inclusão”, ambas no Cine Brasília, e “Vida Para Cena: Escriturais Autobiograficcionais”, no Departamento de Artes Cênicas da UnB.

 

PROGRAMAÇÃO SEMINÁRIO

 

Quarta-feira – 1 de março

Horário: 19h às 20h30
Mesa de abertura: “Gênero e impacto social: poéticas e futuros possíveis”, lançamento do E-book “Relatos do terror: audiovisual, políticas e imaginários” e exibição do longa-metragem “Fogaréu”, com participação da diretora.
Onde: Foyer do Cine Brasília e no canal Realize.Content no Youtube

 

Quinta-feira – 2 de março

Masterclass com Flávia Neves, diretora de “Fogaréu”
Horário: 11h a 12h
A cineasta Flavia Neves aborda o processo de realização de “Fogaréu”, seu primeiro longa-metragem, revelando os princípios utilizados que permearam seu filme. “Fogaréu” foi selecionado para a seção Panorama, uma das mais prestigiadas da Berlinale, na programação do 72º Festival de Berlim. O filme tem fundo autobiográfico e conta com uma equipe majoritariamente feminina — direção, roteiro, produção e fotografia.
Onde: Cine Brasília

Mesa 1: “Inovação e sociedade: onde está o audiovisual?”
Horário: 15h às 16h30 (transmissão online)
Resumo: O debate 1 tem como centralidade a contribuição do audiovisual, e da arte como um todo, na visibilização e provocação criativa para o estímulo do debate sobre a iniquidade social, de gênero e racial, e para os desafios do cotidiano. A proposta é debater o caráter coletivo das inovações, relacionadas às demandas e mudanças sociais, que envolvem a cooperação, reciprocidade e solidariedade, entre diferentes atores. A pergunta central no debate é: como o audiovisual e as artes podem colaborar na reforma de padrões sociais e abrir espaços para comportamentos transformadores das intersecções sociais geradoras de vulnerabilidades e violências?
Participantes: Edileuza Penha de Souza – Distrito Federal – Professora e realizadora; Luiza Drable – Rio de Janeiro – Diretora de Vídeo do The Intercept Brasil; Talita Arruda – Rio de Janeiro – Distribuidora – Fistaile
Mediação: Dalva Santos – Distrito Federal – Especialista em Inovação Social e Cultura/Diretora do Instituto SOMA Cidadania Criativa
Onde: canal Realize.Content no Youtube

Mesa 2: “O terror e os corpos – polêmicas na tela”
Horário: 16h30 às 18h (transmissão online)
Resumo: Existe um grande debate sobre o retrato das violências. Algumas vertentes afirmam que a sua reprodução instiga a sua perpetuação e normalização social. Outras vertentes advogam que elas fazem parte da realidade e precisam ser abordadas de maneira pedagógica de forma a instigar o público a exercer novas reflexões a respeito de suas causas e consequências. Nesse sentido, o debate “O terror e os corpos – polêmicas na tela” é extremamente importante na evolução de como a abordagem de agressões por meio da imagem poderia configurar uma ferramenta positiva no combate às violências contra a mulher.
Participantes: Bruna Carolli – Distrito Federal – Realizadora audiovisual; Bethania Maia – Distrito Federal – Diretora Executiva Criativa na Vaporosa Cultural e conselheira centro-oeste da APAN; Talita Carvalho – Distrito Federal – Jornalista e documentarista
Mediação: Catarina Accioly – Distrito Federal – Co-fundadora do Núcleo Criativo Realize Content e Fundadora da Stelios Produções
Onde: canal Realize.Content no Youtube

 

Sexta-feira – 3 de março

Mesa 3: “A ascensão do thriller – do pop ao político”
Horário: 15h às 16h30 (transmissão online)
Resumo: A partir de 2010 o mercado audiovisual tem entregado produções de debate sobre temáticas sociais importantes dentro de um gênero em que historicamente não predominava esse recorte, o thriller. Atualmente se criaram novas subcategorias, como o thriller sociopolítico e terror social, retratados em filmes como Corra! (racismo), Bela Vingança (violência contra a mulher), Swallow (violência contra a mulher), Aquilo que ficou para trás (racismo e imigração), e Parasita (desigualdade de classe). Dentro desse contexto, propomos a reflexão “A ascensão do thriller – do pop ao político” visando instigar novas realizadoras e agentes do mercado em pensar em como instrumentalizar esse gênero em uma ferramenta de transformação social para um novo público-alvo.
Participantes: Vânia Lima – Salvador, BA, Diretora de conteúdo Têm Dendê Produções; Junno Senna – Petrópolis, RJ – Antropólogo e jornalista no Legião dos Heróis; Vana Medeiros – São Paulo – Roteirista e Dramaturga
Mediação: Laura Diniz – Distrito Federal – Diretora e roteirista do Realize.Content
Onde: canal Realize.Content no Youtube

Mesa 4: “Protagonismo feminino – o futuro das curadorias e dos festivais”
Horário: 16h30 às 18h (transmissão online)
Resumo: “Protagonismo feminino – o futuro das curadorias e dos festivais”, é um debate necessário, na luta social pela equidade de gênero dentro das diferentes etapas das cadeias produtivas. Já é pacífica a grave desigualdade do acesso às mulheres nas funções consideradas cabeça de chave dentro do audiovisual, em especial atrás das lentes. Ainda que as mulheres tenham batalhado para figurar em posições como direção, roteiro e fotografia, ainda se esbarra em um segundo entrave, que é a circulação e visibilidade dos materiais produzidos por elas. No famoso Festival de Cannes, por exemplo, houve uma passeata de protesto em 2018, uma vez que apenas 82 mulheres cineastas que tiveram filmes em competição, em contrapartida alarmante aos 1.688 cineastas homens ao longo de suas 71 edições. Assim sendo, precisamos dialogar com os festivais na busca de parâmetros curatoriais que garantam uma diversidade de protagonistas, em especial mulheres e minorias sociais.
Participantes: Yawar Tupinambá – Pau Brasil/BA – Jornalista; Mariana Queen Nwabasili – São Paulo – Jornalista e pesquisadora; Janaina Oliveira ReFem – Duque de Caxias/RJ – Cineasta, pesquisadora e vice-presidenta da APAN
Mediação: Rafaella Rezende – Distrito Federal – Pesquisadora, produtora e curadora.
Onde: canal Realize.Content no Youtube

 

Sábado – 4 de março

Horário: 14h às 16h
Oficina: Sensibilização para o atendimento à pessoas LGBTI+
A partir de atividades dirigidas, espaço de debate e momento de reflexão em grupo, os conceitos de identidade de gênero e orientação afetivo sexual, serão abordados com objetivo de sensibilizar o público.
Oficineiras: Mirada Coletiva – Lélia de Castro e Nina Ferreira
Local: Cine Brasília
Espaço: Espaço Café

Horário: 16h às 18h
“Acessibilidade na prática: Atendimento e Inclusão”
Oficina de capacitação, com a temática acessibilidade & inclusão. Humanização e personalização nas relações sociais com as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, aprimorando a inclusão em esferas diversas do cotidiano.
Oficineira: Daniela Louvores e Alê Capone
Local: Cine Brasília – Espaço Café

Data: 04/03 e 11/03
Horário: 14h às 18h
“Vida Para Cena: Escriturais Autobiograficcionais”
Oficina que investiga processos de criação de cenas a partir das histórias vividas pelas participantes e suas possibilidades de ficcionalização.
Oficineira: Adriana Lodi
Local: Departamento de Artes Cênicas da UnB – Sala B1 59

 

Serviço

Seminário Relatos do Terror: gênero, audiovisual e imaginários
Quando: 1 e 4 de março
Local: Cine Brasília e canal Youtube Realize (https://www.youtube.com/@realize.content)
Acesso gratuito sem necessidade de inscrição.
Mais informações: www.realizecontent.com.br e nas redes sociais do coletivo Realize.Content

O e-book estará disponível para download no site do Realize.Content a partir das 19h do dia 1º de março.

Precisa de ajuda?