Search

A cerimônia de abertura, no dia 18, conta com presença da Ministra da Cultura Margareth Menezes

Durante a cerimônia de abertura, acontece em conjunto o lançamento da edição 64 da revista Filme Cultura, uma parceria entre a Secretaria do Audiovisual e a Cinemateca Brasileira

Programação especial do mês da Consciência Negra conta também com exibição do filme Egúngún – a sabedoria ancestral da família Agboola, no dia 21 e do documentário francês “Le Panthéon des mémoires noires”, no dia 22, seguido de debate com a ex-Ministra francesa da Justiça, Christiane Taubira, com a Diretora do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro, da Fundação Cultural Palmares, Flávia de Jesus Costa, e com a Coordenadora-Geral da Memória e Verdade da Escravidão e do Tráfico Transatlântico de Pessoas Escravizadas no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, Fernanda Nascimento Thomaz

Nos dias 18, 19 e 20 de novembro, o Cine Brasília será palco de um evento que une cultura, cinema e reflexão, a Mostra-Debate Cinemas Negros. Fruto da parceria entre a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC), a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e o Cine Brasília, a mostra ocorre em comemoração ao mês da Consciência Negra.

Durante três dias, sempre às 16h30, o Cine recebe mesas de debate abordando temas como políticas afirmativas, metodologias afrocentradas e o impacto das políticas públicas afirmativas para o audiovisual. E às 20h, a mostra exibe filmes de pessoas realizadoras contempladas em editais da política afirmativa da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC).

Um dos destaques do evento é a cerimônia de abertura, no dia 18, às 20h, que conta com a participação da Ministra da Cultura, Margareth Menezes e da Secretária do Audiovisual do Ministério da Cultura, Joelma Oliveira Gonzaga. Na ocasião será feito o lançamento da edição 64 da revista Filme Cultura, que traz como tema central os Cinemas Negros. Após um período de cinco anos de interrupção, a revista renasce com uma edição que explora diversas facetas do cinema negro brasileiro, desde políticas afirmativas até a análise crítica de importantes obras e realizadores.

A edição 64 conta com a participação de renomados nomes do cinema nacional, como Gabriel Martins, diretor do filme “Marte Um”, e Joel Zito Araújo, membro do Conselho Editorial, que escreve sobre o “tenso enegrecimento do cinema brasileiro”. Além disso, Carol Rodrigues, cineasta reconhecida, traz sua visão do audiovisual para libertar as dores das mulheres negras, e Noel dos Santos Carvalho, sociólogo e professor de cinema da UNICAMP, organizou o livro “Cinema negro brasileiro” (2022).

A Mostra-Debate Cinemas Negros apresenta filmes contemplados no Edital de Longa-metragem de Baixo Orçamento Afirmativo, em 2016, incluindo Marte Um, de Gabriel Martins; Um dia com Jerusa, de Viviane Ferreira; e Cabeça de Nêgo, de Déo Cardoso. Além desses, a Mostra traz os seguintes curtas: A boneca e o silêncio, de Carol Rodrigues; Cinzas, de Larissa Fulana de Tal; Preto no Branco, de Valter Rege; e UrSortudo, de Janú Ário Jr.

Toda a programação é gratuita e aberta ao público.

MÊS DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Ainda em celebração ao mês da Consciência Negra, nos dias 21 e 22, o Cine Brasília recebe duas sessões especiais com filmes que abordam ancestralidade, cultura e memórias negras. No dia 21, tem lançamento do livro “Àbíkú Agbá, o Sobrevivente”, às 18h e às 20h será exibido o documentário Egúngún: a sabedoria ancestral da família Agboola, do artista visual e cineasta baiano Gilucci Augusto. O documentário segue a história de Àkànó Fásínà Agboolà, Àràbà de Lagos, Nigéria, divinizado após sua morte em 1991. Filmado durante o Festival de Egúngún em Lauro de Freitas, na Bahia, o documentário é narrado por Oluwo Ifágbaíyin Awolola Agboolà, que compartilha as histórias do seu ancestral espiritual. O filme destaca a cultura yorùbá, onde cultuar Egúngún mantém o respeito aos antepassados.

Já a sessão do dia 22 exibe o documentário Panteão das Memórias Negras, do diretor Karim Akadiri Soumaïla. O filme aborda a relação histórica entre a República Francesa e seus cidadãos negros e afro-caribenhos desde os primeiros momentos após a abolição da escravidão até os dias atuais. Ele destaca a perspectiva da Antiga Guarda dos Selos Christiane Taubira, autora da lei que reconhece a escravidão como crime contra a humanidade. Além disso, o documentário reúne testemunhos de diversos especialistas, incluindo historiadores, sociólogos, figuras políticas, membros da sociedade civil, artistas e intelectuais, proporcionando uma análise abrangente e multifacetada desse complexo vínculo histórico e social.

Após a exibição, haverá um debate com a presença da ex-Ministra francesa da Justiça, Christiane Taubira, autora da “Lei Taubira”, que reconhece o tráfico transatlântico de escravos e a escravidão como um crime contra a humanidade, com a Diretora do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro, da Fundação Cultural Palmares, Flávia de Jesus Costa, e com a Coordenadora-Geral da Memória e Verdade da Escravidão e do Tráfico Transatlântico de Pessoas Escravizadas no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, Fernanda Nascimento Thomaz. A mediação fica por conta da jornalista Keila Santana.

Ambas as sessões dos dias 21 e 22 iniciam às 20h, tem entrada gratuita e são abertas ao público.

FESTIVAL DE CINEMA ITALIANO

O Festival de Cinema Italiano no Brasil chega à sua 18ª edição trazendo uma seleção de filmes inéditos, dirigidos tanto por cineastas italianos renomados quanto por novos talentos, abrangendo desde grandes produções até filmes independentes. O Cine Brasília, em parceria com a Câmara de Comércio Italiano de São Paulo, exibe 14 filmes do festival, de 16 a 22 de novembro.

A Mostra Inéditos apresenta 10 obras italianas produzidas entre 2022 e 2023, que foram destaques em prestigiados festivais internacionais: Obrigado, Rapazes (2023), A Terra das Mulheres (2023), Ainda Temos Amanhã (2023), A Última Noite de Amore (2023), Billy (2023), O Primeiro Dia da Minha Vida (2023), Um Amor de Domingo (2023), Primadonna (2022), O Senhor das Formigas (2022) e O Homem na Estrada (2022). Já a Mostra Retrospectiva, traz alguns clássicos da “Commedia all’italiana”: Por Um Destino Insólito (1974), Mimi, O Metalúrgico (1972), Venha Tomar Café Conosco (1970) e Golpe dos Eternos Desconhecidos (1959).

Com duas sessões diárias, sempre às 15h15 e às 17h30, toda a programação do Festival de Cinema Italiano no Cine é gratuita. Para saber mais acesse: festivalcinemaitaliano.com.

ESTREIA DA SEMANA

A programação do Cine Brasília também tem filme para a criançada com a estreia de Trolls 3 – Juntos Novamente, a partir desta quinta-feira, 16 de novembro. Nesta terceira produção da saga, Poppy e Tronco, agora um casal, mergulham em uma emocionante jornada quando o passado secreto de Tronco é revelado. Ele fez parte da boyband favorita de Poppy, BroZone, ao lado de seus quatro irmãos. Com a família separada e sem contato há anos, a trama se desenrola quando Floyd, o irmão de Tronco, é sequestrado pelos vilões popstars Velvet e Veneer. Tronco e Poppy embarcam em uma missão para reunir os irmãos e resgatar Floyd de um destino sombrio.

Esta semana, as sessões de Trolls 3 iniciam sempre às 10h, com exceção de segunda-feira, quando não haverá exibição deste filme.

EM CARTAZ

Permanece em cartaz o longa Tia Virgínia, dirigido por Fábio Meira. A comédia narra a história de Tia Virgínia, uma mulher de 70 anos interpretada por Vera Holtz, que optou por uma vida sem casamento ou filhos, mudando-se para cuidar dos pais em uma cidade distante, a pedido de suas irmãs. O enredo se desenrola ao longo de um único dia, durante as festividades de Natal, enquanto Virgínia se prepara para a chegada das irmãs Vanda e Valquíria.

SELEÇÃO DE CURTAS

Esta semana o curta-metragem cearense Mecanismo, selecionado na Chamada Pública do Cine Brasília, precede as exibições de Tia Virgínia. A obra de ficção é dirigida por Gabriel Lima, Mabi Sousa e Izaaaki, e apresenta uma narrativa distópica centrada em um trabalhador que se submete a uma experimentação governamental. A trama se inspira em filmes como “Saudações aos Cubanos” e “La Jetée”, e narra a jornada do protagonista em meio a manifestações contra uma inteligência artificial em um mundo utópico, mas desagradável. A obra busca criar uma experiência única para o espectador, explorando visual e conceitualmente as complexidades de um futuro distópico, utilizando referências cinematográficas.

Ao longo desta semana, os filmes Trolls 3 e Tia Virgínia contam com recursos de acessibilidade de libras, legendas e audiodescrição através do aplicativo Mobi LOAD.

Os ingressos para as sessões regulares no Cine Brasília custam R$ 20 (inteira) e R$ 10
(meia), com exceção das segundas-feiras, que têm entrada no valor único de R$5 e podem ser adquiridos na bilheteria do cinema ou no SITE.

SERVIÇO – CINE BRASÍLIA
Endereço: Asa Sul Entrequadra Sul 106/107 – Brasília, DF, 70345-400.
Informações pelo WhatSApp: 61 99878-2198 ou contato.cinebrasilia@gmail.com
Ingressos à venda na bilheteria ou pelo link: ingresso.com/cinema/cine-brasilia

Esta semana ocorre ainda o Festival de Cinema Italiano com exibição de 14 filmes, em parceria com a Câmara de Comércio Italiano de São Paulo

Precisa de ajuda?