Search

Visões de África exibe retrospectiva de produções cinematográficas africanas, 

de quinta a domingo, 25 a 28 de janeiro, no Cine Brasília

A mostra é uma iniciativa do CinemaBeento, pop-up cinema de Acra, capital de Gana, e tem curadoria de Hadar Busia-Singleton e Matheus Vinhal

De 25 a 28 de janeiro, a mostra CINEMABEENTO APRESENTA VISÕES DE ÁFRICA exibe no Cine Brasília uma seleção de 5 curtas e 7 longas-metragens produzidos ou co-produzidos por 10 países africanos. Com sessões de quinta a domingo (25 a 28/01), às 16h e às 18h, com uma sessão infantil extra no sábado (27/01) às 10h.
Realizada pelo CinemaBeento, pop-up cinema criado em Acra, capital de Gana, empenhado na divulgação e exibição de filmes relacionados à diáspora africana, a mostra Visões de África tem curadoria de Hadar Busia-Singleton, multiartista, atriz e curadora, e de Matheus Vinhal, pesquisador e produtor cultural do DF.

SOBRE A MOSTRA
De quinta a domingo (25 a 28/01), a Visões de África apresenta a cada dia uma seleção de filmes inspirada em um eixo temático específico: Identidade, Comunidade, Mito e Resistência. Com duas sessões por dia, às 16h e às 18h, além de uma sessão extra no sábado (27/01), às 10h.
Além dos eixos temáticos de cada dia, há outros temas que perpassam certas sessões, como a direção cinematográfica e a perspectiva narrativa de mulheres africanas, presente nos curtas da diretora ganense Akosua Adoma Owusu, ou na presença em tela arrebatadora da sul-africana Mary Twala em Isto Não é um Enterro, é uma Ressurreição (2019).
Sambizanga (1972), digirido por Sarah Maldoror, apresenta a luta pela independência angolana acompanhando sua protagonista na busca por seu marido desaparecido. Rafiki (2018), da queniana Wanuri Kahiu, traz o dilema de duas amigas que se apaixonam, enquanto Neptune Frost (2022), co-dirigido pela ruandesa Anisia Uzeyman, apresenta uma ode à liberação dos corpos e terras africanas.
A volta da metrópole colonial para África é outro tema que aparece em obras da mostra. Filmes como E Não Havia Mais Neve (1966), Ó, Sol (1970), A Mulher com a Faca (1969) e Kwaku Ananse (2013) tratam de acontecimentos após o retorno de seus protagonistas a seus países de origem, lidando com as tradições africanas muitas vezes em contraste às perspectivas praticadas nas colônias.
CinemaBeento apresenta Visões de África no Cine Brasília de quinta a domingo, 25 a 28 de janeiro, com ingressos promocionais no valor único de R$5. Confira ao fim do texto a programação resumida e sinopses para cada filme.

Precisa de ajuda?