Em cartaz esta semana no Cine Brasília, Nossa Senhora do Nilo, dirigido pelo cineasta afegão Atiq Rahimi, além de suas notáveis qualidades como obra cinematográfica, é um filme para entender um episódio fundamental da história de Ruanda. O longa  foi o vencedor Vencedor do Urso de Cristal da seção Geração 14 plus do Festival de Berlim. Os fatos narrados se reportam a 1973 e são impressionantes. A base da história escolhida por Rahimi – hoje residente em Paris – é a disputa entre hutus e tutsis em Ruanda, onde colonizadores, população miscigenada e diferentes etnias, se envolvem em um violento e sangrento conflito. O filme, porém centra toda a sua ação num colégio interno católico exclusivamente feminino, dirigido por uma madre superiora européia, rígida e puritana.  

Para a mostra Vá e Veja, que permanece em cartaz, dois filmes de grande impacto vão ocupar a nossa programação. O primeiro deles, a animação, Pinóquio, vem aclamado em diversos festivais internacionais e traz a assinatura de  Guilherme Del Toro e Mark Gustafson. Escrita no século XIX, duas décadas após a reunificação italiana, Pinóquio refletia os problemas financeiros vividos pelos italianos. Não vamos aqui dar um spoiler, mas lembramos que, na história original há uma grande ambigüidade das personagens: ninguém é inteiramente bom nem mau. 

O segundo filme programado em Vá e Veja, é do cultuado cineasta David Cronenberg, Crimes do Futuro. Deixando de lado suas últimas produções, Cronenberg volta ao universo cinematográfico que o consagrou. Ficção científica onde a ciência se mescla com um grotesco e assustador futuro, Cronenberg enlaça um enredo onde a dupla de protagonistas, Saul Tenser e Caprice, “operam performances ao vivo onde a dor, é sublimado em arte, por meio de robôs-cirúrgicos comandados por controles gelatinoso, movidos por um desejo de preencher um vazio que assola as relações mundanas, abrem feridas.

E para completar a semana do tradicional cinema basiliense, as obras Fabian- O mundo está acabando, Marte Um, Aftersun e, para o público infantil, o encantador O Tesouro do Pequeno Nicolau, seguem nas telinhas do DF. E de 18 a 22 de janeiro, o Cine Brasília recebe a Mostra de Cinema Japonês com sete títulos de diretores de uma nova geração de cinema.

Os ingressos para as sessões que acontecem podem ser comprados através do site ingresso.com e também nas bilheterias do Cine Brasília. A casa do cinema brasileiro possui uma nova gestão compartilhada entre a OSC Box Cultural e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. Sob a direção geral de Sara Rocha e a curadoria de Sérgio Moriconi, o espaço cultural celebra o início de um novo ciclo.